Pinheirinho um ano depois

Eu estive em São José dos Campos em 02/02/2012 no Ato Nacional de Solidariedade ao Pinheirinho. Fiquei muito comovido com a condição de extrema necessidade que ficaram os ex-moradores. Eram mais de 1500 famílias empilhadas em alojamentos improvisados (por exemplo, a quadra esportiva de um colégio municipal), como refugiados de uma guerra. Não podemos chamar de “guerra” mas houve soldados, helicópteros, tiros, explosões e o motivo de tudo isso era tirar dos pobres para dar aos ricos.

Naji Nahas

A posse do terreno foi devolvida ao seu proprietário, Naji Nahas. Não se sabe como ele se tornou dono deste imóvel (grilagem). Até 1969 o terreno pertencia à família Kubitzky. Os quatro irmãos foram assassinados, num crime que nunca foi solucionado. Como os Kubitzky não tinham herdeiros, todas as suas propriedades ficaram com o Estado.

Veja algumas páginas, vídeos e fotos, para complementar seu conhecimento sobre Pinheirinho:

UOL (2008): Pitta, Naji Nahas e Daniel Dantas continuam presos em SP
Hum Historiador: “Trucidamento da família Kubitzky”, grilagem e especulação imobiliária
Global Voices: “Massacre do Pinheirinho” Causa Revolta e Comoção no País
Brasil de Fato: Pinheirinho, as lágrimas ainda correm sobre um cenário de Guerra

Anúncios

Uma opinião sobre “Pinheirinho um ano depois

  1. Pingback: UOL novamente defende o capital | Fugindo da Virtualidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s